Jambu & Tapioca

by Renata Franco

Desenvolvemos a formulação desse cosmético natural de acordo com o pedido enviado no nosso instagram 

receita de cosmético natural

A Isadora enviou no post “formulação desejo” o que gostaria de ver na nossa Cosme Class e, como aqui na COSME vocês mandam e a gente obedece, aqui está todo o desenvolvimento!

Trata-se de uma formulação de creme facial que foi batizada de Jambu & Tapioca!

E por que desse nome? Nesse artigo vamos explicar tudo sobre esse cosmético natural!

No comentário, a Isadora sugeriu um creme facial hidratante para o dia e para a noite, que absorvesse rapidamente na pele sem ficar com a sensação que ela chamou de “melecada” e deveria ter manteiga de cupuaçu na sua composição.

Ela disse que é autista e uma das maiores dificuldades é lidar com a sensação pegajosa dos produtos na pele. Então, pensando nisso, o creme foi desenvolvido para ter uma absorção rápida para quem não gosta dessa sensação pegajosa.

Quais as premissas principais para essa formulação:

  • Creme hidratante para o rosto
  • Suave
  • Sem aspecto pegajoso
  • Rápida absorção

Essa formulação foi desenvolvida de acordo com a ferramenta regra geral do módulo Rosto do nosso curso completo, o Programa Cosmetologia do Bem.

Para a família Cosme que tem acesso à regra geral é possível personalizar de acordo com seu desejo ou desejo do seu cliente.

Qual embalagem usar?

Para essa formulação usamos a embalagem airless, ela isola o conteúdo do ambiente externo e, como o próprio nome já diz, o produto não tem contato com o ar.

Ela funciona da seguinte forma: cada vez que a válvula é acionada, o fundo vem junto, não ficando o espaço para o ar dentro da embalagem. É indicada para produtos mais fluidos.

Você sabia que dá para aproveitar a embalagem airless? Mostramos na aula o passo a passo de como desmontar e preparar para ser utilizada novamente!

receita de cosmético natural

Lembrando que não é obrigatório utilizar esse tipo de embalagem. Para os alunos da COSME deixamos indicações de fornecedores de embalagem nos módulos dos cursos!

receita de cosmético natural

Da concepção à Prática

  • Estudo de caso

É importante mapear e entender bem a necessidade do cliente ou a sua necessidade. Quais as características importantes que não podem faltar, para que o resultado seja incrível!

  • Conceito do mercado

Com base nas principais características do produto é importante fazer um estudo de mercado, pois assim você consegue visualizar quais os ingredientes e ativos estão sendo mais utilizados e como o produto tem sido anunciado para o público alvo.

Assim, com uma visão geral da venda do produto no mercado você consegue ter ideias inovadoras!

  • Mecanismo de atuação

Nesse ponto o ideal é definir qual a atuação do cosmético. Você pode definir de acordo com as premissas, se será um creme, loção ou sérum por exemplo. Defina o sensorial, os benefícios, assim como todas as características do produto.

  • Ingredientes e ativos

Feito os primeiros passos, agora é definir os ingredientes e ativos. Nós da família Cosme usamos o Protocolo 4Q para verificar a compatibilidades na formulação e a ferramenta da Regra Geral para definir corretamente quais os os ativos e ingredientes da formulação!

  • Regra Geral

Com a regra geral você consegue personalizar as formulações dos cursos da cosme ou criar uma formulação do zero! Essa ferramenta serve como parâmetro e te direciona na escolha dos ingredientes necessários para o tipo de formulação que você está produzindo.

Escolha dos ingredientes

A partir do conceito da formulação, fizemos a seleção dos ingredientes.

Aquosa/ extrato aquoso

Poderia ser utilizado um extrato aquoso mas escolhemos apenas a água destilada para compor a parte aquosa.

Emulsificante

Os emulsificantes ajudam a misturar dois líquidos que normalmente não se misturam (água e óleo), formando uma emulsão.

Para essa formulação escolhemos o Olivem 1000 (INCI Name: Cetearyl Olivate (and) Sorbitan Olivate). Ele é um emulsificante derivado natural do óleo de oliva, possui o aspecto second skin que dá a sensação de uma segunda pele conferindo toque aveludado. Ele é peg-free ou seja sem petrolatos e também é certificado pela ecocert. 

Bora entender sobre o mecanismo de ação: a formação da second skin ocorre através das bicamadas lamelares que conferem um poder extra de hidratação. Elas mimetizam as bicamadas lipídicas da membrana celular da pele e, por isso, tem uma ótima aceitação da pele proporcionando esse toque aveludado e muito agradável. 

Espessante lipofílico

O álcool cetílico é usado para dar mais viscosidade de forma que a formulação não fique muito fluida. Um ponto de atenção é não usar um alto percentual para que a formulação não fique muito pesada. Por isso, usamos os percentuais mais baixos da regra geral. Lembrando que é um ingrediente que tem afinidade pela fase oleosa.

Emolientes

Esses ingredientes suavizam a pele, dando flexibilidade e ainda agem formando uma espécie de camada protetora prevenindo contra a perda de água.

Lembrando das premissas, fizemos uma seleção estratégica dos emolientes de baixa, média e alta espalhabilidade. Mas porque devemos fazer esse equilíbrio de emolientes?

Porque se utilizarmos somente um emoliente de baixa espalhabilidade com alta concentração, como as manteigas vegetais, a formulação pode ficar pegajosa e não queremos isso para essa formulação, certo?

Como emoliente de baixa espalhabilidade usamos a indicação da Isadora, a manteiga de cupuaçu, em percentuais mais baixos e distribuímos a emoliência entre outros emolientes.

O segundo emoliente foi o triglicérides de ácido cáprico/caprílico, que possui média espalhabilidade e é derivado do óleo de coco. Por ser constituído de ácidos graxos de cadeia média apresenta boa espalhabilidade. É uma ótima alternativa aos óleos minerais.

O terceiro emoliente escolhido foi o DUB 810C (INCI Name: Coco Caprylate/ Caprate) possui alta espalhabilidade e não adiciona toque oleoso à formulação. Ele proporciona toque sedoso à pele sendo uma ótima alternativa de substituição para os silicones.

Espessante hidrofílico

A goma xantana aumenta a viscosidade da formulação e confere estabilidade para a emulsão, impedindo que a água e o óleo se separem. Para essa formulação, é indicado usar em concentrações mais baixas de acordo com a regra geral, para que não fique com aspecto grudento.

Extrato glicerinado de Jambu

É um dos ativos estrela da formulação! É proveniente da Amazônia e possui propriedades hidratantes com efeito de reduzir micro tensões na pele e consequentemente reduz a formação e profundidade das linhas de expressão, causadas por movimentos de repetição. Ele possui essa propriedade pela presença do Spilanthol.

receita de cosmético natural

Tapioca pure starch

A tapioca Pure Starch adiciona toque seco juntamente com a seleção estratégica dos emolientes. Por isso ela é o segundo ingrediente estrela da formulação.

ATENÇÃO! Não é a tapioca utilizada na culinária. A Tapioca Pure Starch é um polímero natural, de elevada pureza, especialmente desenvolvida para o mercado de cosméticos.

receita de cosmético natural

Alantoína

É um ativo com ação anti inflamatória, anti idade, promove a renovação celular e melhora a umectação da pele.

A alantoína é indicada para peles sensíveis, descamando e irritadas e para formulações infantis por conferir suavidade e melhorar os aspectos gerais da pele.

Possui várias possibilidades de uso a depender do objetivo da formulação pois também age na ativação da cicatrização de feridas e possui ação queratolítica. Por isso pode ser um aliado no tratamento de psoríase e hiperqueratose.

Recomendação: Deve ser adicionado na fase aquosa da formulação entre 70 e 80 graus centígrados, para facilitar a solubilização.

Fragrância

O óleo essencial de lavanda (Lavandula officinalis) possui alto teor de substâncias pertencentes ao grupo funcional éster, por exemplo o acetato de linalila, que conferem ação tranquilizante, equilibrante e calmante.

receita de cosmético natural

Antioxidante

A vitamina E (INCI: Tocopheryl Acetate) tem ação antioxidante e retarda tanto a formação de peróxidos como a oxidação de lipídios. 

Conservante

Para essa formulação vamos utilizar como conservante do bem o Nipaguard (INCI: Sorbitan Caprylate (and) Propanediol (and) Benzoic Acid).

Mas quem tem acesso à plataforma do curso Programa Cosmetologia Do Bem pode consultar a tabela do módulo Conservantes do Bem e selecionar um dos conservantes indicados para emulsões. Nessa tabela temos conservantes com diferentes indicações a depender do tipo de formulação, seja ela, aquosa, oleosa, emulsão ou com presença de surfactante.

O Nipaguard é um agente antimicrobiano de amplo espectro, projetado para a preservação ampla de diferentes tipos de cosméticos. Esse conservante possui certificação Ecocert, o que a torna ideal para preservação de produtos cosméticos naturais. Fornece atividade contra bactérias gram positivas e gram negativas, leveduras e bolores.

Ajustando o pH

É importante que você faça a formulação e no fim você meça o pH para verificar se vai ser necessário fazer um ajuste para deixá-lo na faixa de pH entre 5,0 e 5,5. 

A depender dos ativos e conservantes escolhidos pode ser que seja necessário aumentar ou reduzir o pH. Para aumentar o pH é necessário ajustar com uma solução básica, para reduzir o pH é necessário utilizar uma solução ácida.

Para essa formulação utilizamos uma solução a 10% de hidróxido de sódio para aumentar o pH da formulação.

Bora colocar a mão na massa?!

Nessa Cosme Class fizemos uma produção de 100g. Quem é da família da COSME pode utilizar a tabela de cálculo de produção presente no módulo Princípios da Cosmetologia para fazer o cálculo de uma produção de maior quantidade.

É importante utilizar luvas, touca e jaleco para manter uma boa higienização no momento da prática!

Materiais utilizados:

  • espátula
  • três béqueres
  • uma balança
  • chapa de aquecimento ou
  • banho maria
  • pHmetro.
receita de cosmético natural

Modo de fazer

Béquer 1: adicione os ingredientes da mistura A e leve ao aquecimento.
Dica: a alantoína é um ativo que pode ser aquecido pois sua solubilidade melhora quando aquecida juntamente com a água!

Béquer 2: adicione os ingredientes sólidos da mistura B e leve ao aquecimento.

Quando atingir 80 graus Celsius, adicione a mistura B na mistura A. É importante que as misturas estejam na mesma temperatura para que seja formada a emulsão corretamente.

Adicione os ingredientes líquidos da mistura B na emulsão criada (pode também ser adicionado na mistura B antes de formar a emulsão. Não se esqueça de conferir se a temperatura está adequada).

Béquer 3: adicione a goma no extrato glicerinado (mistura C) para evitar de formar grumos na formulação.

Adicione a mistura C na emulsão gerada e misture bem para homogeneizar os ingredientes e não deixar grumos.

Aguarde esfriar abaixo de 40 graus Celsius e adicione os ingredientes da mistura D que são os ingredientes termolábeis (ou seja, sensíveis à temperatura).

Meça o pH e ajuste se necessário para um pH de 5 a 5,5.

Envase o produto na embalagem final.

E aí gostou? Não deixe de nos enviar seu feedback após testar essa formulação!

Caso queira aprender a criar mais formulações faciais tanto para uso próprio ou para criar sua marca de cosméticos naturais acesse o Programa Cosmetologia do Bem ou entre em contato pelo nosso Whatsapp

VEJA TAMBÉM

Utilizamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site. Ao clicar em aceitar, você concorda com a nossa política de privacidade. Aceitar Saiba mais

Política de Privacidade
Olá, precisa de ajuda?