Ethanolamine

MONOETHANOLAMINE (MEA), DIETHANOLAMINE (DEA), TRIETHANOLAMINE (TEA)  E OUTROS

Ethanolamines e seus ingredientes relacionados são utilizados para ajustar o pH neutralizando a acidez, para deixar os cosméticos mais cremosos ou para formarem espuma. Esses ingredientes são encontrados, principalmente, em produtos de limpeza, como detergentes e cométicos, como nos shampoos. DEA reage com outros ingredientes que foram classificados como possível carcinogênico pelo IARC (Agência Internacional de Pesquisa sobre Cancer – International Agency for Reaseach on Cancer).

Em experiências laboratoriais, foi demonstrado que a exposição a doses elevadas de ingredientes relacionados-DEA pode provocar câncer no fígado e alterações pré-cancerosas da pele e na tiróide. Cocoamide DEA foi classificado como perigoso para o meio ambiente por causa da sua toxicidade aguda para organismos aquáticos e pelo seu potencial de bioacumulação. O MEA, DEA e TEA podem reagir com outras substâncias nos cosméticos e formar nitrosaminas carcinogênicas. A Comissão Européia proibiu dietanolamina (DEA) em cosméticos, para reduzir a contaminação de nitrosaminas.

ONDE É ENCONTRADO: sabonetes, shampoos, condicionadores, tinturas capilares, loções, creme de barbear, ceras, produtos de limpeza, pomadas, delineadores, rímeis, sombras, blush, bases de maquiagem, fragrâncias, protetores solar.

QUAL NOME PROCURAR NOS RÓTULOS: triethanolamine, diethanolamine, DEA, TEA, cocamide DEA, cocamide MEA, DEA-cetyl phosphate, DEA oleth-3 phosphate, lauramide DEA, linoleamide MEA, myristamide DEA, oleamide DEA, stearamide MEA, TEA-lauryl sulfate [2].

PROBLEMAS DE SAÚDE ASSOCIADOS: câncer, problemas ambientais de bioacumulação, toxicidade.